Aproveitando o máximo da sala de aula Na prática, significa trabalhar para que o aluno seja capaz de interagir eficazmente como líder, cultivando uma visão construtiva de vida, de mundo, também sob a perspectiva do outro.

Escrito por: Guilherme Carvalho

838185Você já ouviu falar em Flipped Learning?

Com essa metodologia, o aluno tem o primeiro contato com o conteúdo em casa, no seu computador, assistindo à aula no seu ritmo, em formato de vídeo com exercícios de prática. Em seguida, a aprendizagem é complementada em sala de aula, de maneira presencial, com atividades interativas com os outros alunos da turma. É um conceito que está, cada vez mais, ganhando espaço nas melhores escolas do mundo e a ABA Global Education está trazendo essa inovação para seus alunos.

Alison Elizondo, professora de uma escola na Califórnia adota a metodologia com sucesso e indica que a taxa de proficiência de seus alunos chega a 80%. “Ensino híbrido, na minha definição, é uma combinação balanceada dos recursos on-line e tecnológicos, com as melhores práticas pedagógicas. É o equilíbrio entre esses elementos”, afirma Elizondo, que ressalta: “O professor não precisa mais ficar na frente da sala, dando uma aula única para a turma toda, sem considerar as variadas formas e ritmos de aprendizado de cada aluno. Hoje temos recursos para fazer isso de uma maneira melhor”. A exposição aos conteúdos é feita livremente, cada aluno no seu horário e ritmo. É liberdade para ver e rever aulas e exercícios tantas vezes quanto achar necessário para entender o conteúdo. O programa fica ainda mais interessante quando os alunos são estimulados a trocarem informações e opiniões com os colegas de sala e com o professor, que assume cada vez mais um papel de mediador entre o aluno, seus colegas de sala e o conteúdo. Cria-se, portanto, um ambiente de aprendizado fora da sala de aula que favorece o nivelamento dos diferentes perfis de aluno para que os momentos em sala de aula sejam ainda mais produtivos. Na sala de aula, o professor oferece dinâmicas de interação e reflexão para desenvolvimento das habilidades que o ambiente de sala permite.

No caso da ABA Global Education, por exemplo, os alunos praticam a conversação orientada, exercícios de criatividade em grupo e dinâmicas diversas, uma compilação das melhores práticas validadas ao longo da experiência de ensino de língua da instituição. “A sala de aula se torna ainda mais produtiva porque os alunos chegam em sala mais bem nivelados uma vez que aqueles que não conseguiram entender a mensagem imediatamente tiveram oportunidade de rever um trecho da aula, realizar mais exercícios ou tirar dúvidas isoladamente”, afirma Guilherme Carvalho, Coordenador de Inovação da ABA. Sobre o motivo de seu programa funcionar bem e aproximar os alunos da escola, a resposta da professora Alison Elizondo vem sem hesitação: “Acho que, para qualquer programa ter sucesso, os alunos precisam ser livres para arriscar e para errar. A tecnologia tem um papel importante na abordagem e contribui muito para essa liberdade. Quando os alunos se sentem mais estimulados e inspirados, passam a entender que o aprendizado é contínuo durante a vida, que não é restrito ao ambiente escolar”. Num mundo onde cada vez mais estamos buscando flexibilidade e eficiência, o Flipped Learning, Blended Learning ou Ensino Híbrido tem se mostrado como a nova forma de educação.   Fontes complementares: http://porvir.org/porpessoas/a-chave-para-ensino-hibrido-e-equilibrio/20140424