Inovação! Você sabe mesmo do que se trata? 11 características da inovação que nem sempre são óbvias e quase nunca as empresas lembram de aplicar

Escrito por: Guilherme Carvalho

Muitas pessoas e empresas enxergam a inovação como algo que faz parte apenas de um produto ou de um processo. Apontam que inovadores são os que criam coisas antes inexistentes, realmente novas e que são boas para o mercado. Isso tudo não deixa de ser verdade. A inovação precisa mesmo dos inovadores para acontecer. Os produtos, processos e serviços são a materialização dela, mas a inovação não pode ser pensada de forma isolada, como algo que faz parte de um produto apenas.

InovaçãoA inovação é uma competência organizacional. Ou seja, ela precisa fazer parte do DNA da organização, estar associada aos valores que pratica, estar entranhada no dia-a-dia dos que fazem a organização funcionar. A inovação é, na verdade, uma série de competências olhando para um desafio, uma atividade conectada em rede. Não pode, portanto, se restringir ao departamento de inovação. Os evangelistas da inovação devem trabalhar para que este mindset seja disseminado pela organização.

Inovar sozinho? Desista! O mundo está conectado, e cada vez mais estará. É preciso estar atento às outras pessoas e coisas. Isso quer dizer que os desafios aos quais a inovação está olhando podem (e queremos isso) resultar num produto ou serviço, mas devem estar ligados sempre a encontrar a melhor forma de resolver o problema de alguém. Se não conseguir convencer esse “alguém” a usar seus produtos ou serviços, não tem futuro. Neste caso, deixamos de ter a materialização da inovação. Felizmente, o ser humano tem essa grande capacidade de conectar as coisas, combinar ideias para criar o novo. E esse tem sido o diferencial para os profissionais extraordinários (conheça as 4 habilidades do futuro).

Inovação é a capacidade, não o desejo. É ela que permite a contínua realização do futuro desejado. É o motor, a engrenagem. Jamais poderia ser o contrário. A inovação precisa ser o presente olhando para o futuro. A inovação não acontece quando o futuro desejado é alcançado. Ela faz parte de todo o processo porque esse conjunto de competências precisa estar em uso para que haja esse futuro desejado.

subwayA Subway, por exemplo, foi fundada com um empréstimo de US$ 1.000,00. Não foi uma ideia que fundou a Subway. Foi uma ideia com capacidade de execução. Isso significa que uma série de competências e capacidades foram colocadas em conjunto para funcionar como um negócio de inovação. O futuro desejado estava definido desde o princípio, uma visão que exigiria inovação para dar certo e crescer. Uma ideia sem capacidade de execução é no máximo uma boa ideia.

Entenda a inovação como algo real, concreto, que está acontecendo neste momento para que possa plantar, regar, e depois colher os produtos, serviços e processos inovadores no futuro. Incorpore a inovação dentro de você, de sua equipe e de sua organização. Ela jamais será o futuro se não for também o presente. Para isso, a inovação precisa ser um conjunto de capacidades as quais sua organização é mestre em aplicar. Por exemplo, para inovar com um produto de transporte de passageiros, é preciso antes se mestre no funcionamento dessa dinâmica de transportes, quais as necessidades, as dificuldades, as pessoas, os processos, etc.

pagar-contasPor outro lado, nenhuma empresa deve querer ser inovadora, mas sim ter produtos e serviços inovadores. Ser inovadora é consequência disso. Afinal, a inovação em si não vai “pagar as contas”. O que traz receita são os produtos e serviços gerados a partir dela. Então, inovação deve ser vista como a capacidade de criar e oferecer produtos e serviços capazes de gerar receita para pagar as contas.

Todos os negócios que têm futuro são uma combinação de curto prazo e longo prazo. O curto prazo esta necessariamente associado à performance. É preciso ter entregas de curto prazo para tornar sustentável ou, ao menos, palpável desde o princípio. Mas enquanto é necessário entregar coisas no curto prazo, é também essencial ter o tempo para construir um longo prazo. Essa combinação é que forma a inovação com sustentabilidade do negócio porque o longo prazo vem do futuro para o presente ao tempo que o curto prazo vai do presente para o futuro.

Ter uma inovação sustentável é mesmo um grande desafio das organizações. Para isso, a inovação precisa ser parte dos propósitos da empresa. Essa deve ter uma visão do futuro desejado, esclarecer uma própria definição do que a inovação significa nesta visão e estabelecer uma narrativa que deixe clara a urgência e importância da inovação para que o futuro desejado se torne realidade. “Na minha experiência, percebi que pouquíssima gente sabe definir bem qual o problema a resolver, dizer qual a solução a ser apresentada e porque ela é melhor do que as demais que estão sendo usadas”, afirma Silvio Meira.

store-manager-talking-to-staffInovação é estratégia, capacidades (processos tangíveis), longo prazo (grandes apostas), aprendizagem e cultura. Deve ser colocada como uma coalização de desejos, sendo ao mesmo tempo uma iniciativa top-down e bottom-up. Ou seja, CEO e todos os funcionários precisam estar alinhados e envolvidos com o futuro desejado e o caminho até ele. E para que tudo isso aconteça, deve haver clareza de onde se quer inovar, estando alinhada com a direção estratégica e propósitos da organização.

Inovação não é para todas as empresas, mas aquelas que querem permanecer ativas por longos períodos precisam inovar. Afinal, em algum momento, a onda de disrupções chegará também ao seu nicho de mercado, por mais estável que ele pareça no momento. Ou seja, inovação é preparação da empresa para o futuro. Então, prepare-se para o futuro, entenda seus clientes, entenda o mundo, inove na sua empresa, pra dentro e para fora. Afinal, como disse Steve Jobs, “inovação é o que distingue um líder de um seguidor”.

Ao longo do texto, as 11 características da inovação foram destacadas em negrito, mas como muitos gostam das listas, estão a seguir.

  1. A inovação não pode ser pensada de forma isolada como algo que faz parte de um produto apenas.
  2. A inovação é uma competência organizacional.
  3. É preciso estar atento às outras pessoas e coisas para inovar.
  4. Inovação é a capacidade, não o desejo.
  5. Uma ideia sem capacidade de execução é no máximo uma boa ideia.
  6. A inovação precisa ser um conjunto de capacidades as quais sua organização é mestre em aplicar.
  7. A inovação em si não vai “pagar as contas”.
  8. Todos os negócios que têm futuro são uma combinação de curto prazo e longo prazo.
  9. A inovação precisa ser parte dos propósitos da empresa.
  10. Inovação deve ser colocada como uma coalização de desejos, sendo ao mesmo tempo uma iniciativa top-down e bottom-up.
  11. Inovação deve ser encarada como a preparação da empresa para o futuro.

Leia também sobre as habilidades do futuro ou mais especificamente como ser mais criativo. Se está tentando e não consegue inovar, leia um pouco mais sobre procrastinação.