Jovens Empreendedores Os jovens modernos estão cada vez mais mostrando que não existe idade para empreender. E nem por isso deixam de ser crianças...

Escrito por: Guilherme Carvalho

Faz tempo ouvimos sempre nos dizer “Nunca é tarde para começar…”, mas cada vez mais comum é pensarmos “Nunca é cedo para começar…” algo. Isso porque estamos nos surpreendendo mais e mais com os jovens e sua capacidade de realizar coisas que os mais velhos nem pensavam quando tinham aquela idade. swaba1Com acesso à informação extraordinário, as crianças passam a ter poderes que não se pensava alguns anos atrás. Elas sabem o que é certo, o que é errado, aprendem sozinhas, ensinam umas às outras e até aos adultos… Alguns podem considerar que estão perdendo a infância ou que isto deve ser evitado. Fato é que esta é a infância atual. Elas se divertem fazendo isso. As coisas realmente mudaram! E como fica o empreendedorismo neste contexto? Primeiro, precisamos desmistificar que este termo se relaciona exclusivamente com criação de empresas. Existem empreendedores em todos os lugares. É uma forma de pensar, uma atitude diante dos problemas. Empreendedor é quem pensa além da maioria, quem cria soluções diante de problemas, quem faz acontecer. Empreendedores muitas vezes pensam como crianças. Isso é bom porque as crianças não têm limites, não se prendem a padrões existentes, não têm vergonha de estarem erradas. Assim, são pensadores, realizadores, inovadores. Erram, aprendem e acertam depois. Ou talvez errem novamente, mas isso não vira um problema. Ecossistemas inovadores como o Vale do Silício nos Estados Unidos inclusive valorizam pessoas que já quebraram empresas. Parece estranho? Esse é o conceito do “se é para errar, erre logo”. Vivemos hoje num mundo em que um indivíduo pode fazer diferença. O impossível deixou de ser impossível. Pelo menos na cabeça dos empreendedores. Para eles, um problema não é mais visto como um problema, mas um desafio para o qual podemos encontrar soluções. Inovação faz parte do processo. Pensar fora da caixa, sair do seu mundo fechado, conversar e conectar-se com outras pessoas, integrar soluções de outros problemas, adaptar, mudar, desapegar. As crianças, por sua vez, estão numa fase abertas para novas oportunidades, sem preconceitos, aprendendo numa velocidade extraordinária. O desafio passa a ser oferecer oportunidades de aprendizagem nas quais elas se engajem e tenham alegria de participar. O aprendizado é consequência do processo. E o empreendedorismo é justamente a atitude que faz a diferença neste modelo. Os jovens empreendedores se destacam ao encarar desafios e encontrar soluções inovadoras. Recentemente tive o prazer de trabalhar no Startup Weekend Edu Youth, com crianças entre 10 e 14 anos. Elas tiveram ideias, construíram negócios do zero e venderam suas ideias para investidores durante um final de semana de muita animação, aprendizado e trabalho de verdade. Vale assistir ao vídeo que produziram sobre o Startup Weekend Edu Youth. Em função desse evento, fui convidado para liderar um grupo de jovens empreendedores na ABA para transformar ideias em negócios de verdade. E o desafio está apenas começando. Estamos cada vez mais descobrindo que empreendedorismo não tem idade. E você, o que acha disso?