O que é ensino bilíngue? Para uma criança ser bilíngue, ela precisa estar inserida num contexto onde seja exposta constantemente às duas línguas que aprenderá. O português e a segunda língua devem fazer parte da rotina da garotada.

Escrito por: Rozário Botelho

O que é necessário para uma criança ser bilíngue? O bilinguismo prejudica o aprendizado da língua materna? Aprender duas línguas ao mesmo tempo não confunde a mente da criança? Meu filho aprenderá a ler e escrever bem em Português? Para uma criança ser bilíngue, ela precisa estar inserida num contexto onde seja exposta constantemente às duas línguas que aprenderá. O português e a segunda língua devem fazer parte da rotina da garotada. Nos espaços da escola fora da sala de aula elas interagem em português e na segunda língua com as pessoas que falam ambas as línguas, trocando de uma para outra de forma natural. Durante as aulas, por sua vez, as crianças são expostas a uma das línguas e focam numa delas por vez. O programa, portanto, precisa contemplar exposição ampla a ambos os idiomas. Ensino bilingueNa ABA Global School, por exemplo, a criança de 2 a 4 anos está inserida num ambiente de imersão completa na Língua Inglesa. As professoras utilizam apenas o inglês para se comunicar com elas desde sua chegada e na condução de todas as atividades escolares, além de explorarem as várias áreas do conhecimento através desta língua. Este “mergulho” possibilita a rápida compreensão do idioma e a participação da criança nas atividades diárias. Diversos estudos comprovam que na primeira infância a plasticidade cerebral favorece o aprendizado de duas ou mais línguas. As crianças estão “abertas” a aprender tudo que puderem vivenciar. Portanto, quanto mais cedo e quanto mais tempo elas estiverem em contato com outra língua, melhor para seu processo bilíngue. A partir dos cinco anos, os alunos são expostos a ambas as línguas durante as aulas, com uma professora para cada idioma. Ao contrário do que se pensava, o aprendizado de uma língua favorece o processo da outra e isto ocorre de forma muito enriquecedora. No ensino fundamental, recomenda-se que cerca de 50% do tempo seja dedicado para cada língua. Com isso, estima-se que ao final do quinto ano os alunos estejam alfabetizados e fluentes em português e na segunda língua. Eles apresentam uma desenvoltura muito próxima de um nativo da segunda Língua, com vocabulário amplo e pronúncia quase sem sotaque. Tudo isso acontece graças ao fato deles terem começado o aprendizado ainda na infância. O bilinguismo possibilita não apenas o aprendizado de duas línguas com fluência, mas também o conhecimento das suas respectivas culturas. De acordo com Visscher, bilinguismo é um “experimento bonito e natural” porque as pessoas crescem falando duas línguas, e os estudos mostram que elas obtêm benefícios cognitivos por trocar de línguas e determinar qual usar dependendo do que acontece ao seu redor.