9 sacadas para aguçar sua Criatividade As melhores sacadas do Murilo Gun para recuperar a criatividade que está escondida em cada um de nós e aumentar a capacidade de inovar

Escrito por: Guilherme Carvalho

murilo-gun-criatividadeO Murilo Gun vem ganhando cada vez mais espaço com sua criatividade em todas as dimensões. Isso mesmo, não apenas pela irreverência na comédia, mas também pela forma criativa como constrói seus negócios. Ele tem conseguido combinar com criatividade alguns temas antes distintos: comédia, criatividade, empreendedorismo e educação. Que tal então combinar alguns dos seus pensamentos mais criativos? No final da página há um link para um curso gratuito com as melhores videoaulas do Murilo garimpadas.

Comédia pode ser muito mais relevante se ela for o meio e não apenas o fim

Ou seja, a comédia passa a ser o meio para entregar conteúdo com criatividade. Hoje estamos cheio de aulas chatas, palestras chatas, eventos chatos, etc. Então, podemos usar o humor para reter mais a atenção das pessoas e fazer elas se interessarem pelos assuntos. Mas isso precisa ser com criatividade!

Palestras costumam ser tediosas e chatas, todos sabem disso. Alguns palestrantes costumam usar piadas em alguns momentos para quebrar o assunto, mas Murilo defende que a piada não precisa ficar no final ou separada. O próprio conteúdo pode ser passado com humor. Há um conjunto de hábitos do humorista que o faz ser inovador.

Parar para pensar aumenta nossa criatividade

O humorista tem boas sacadas e é criativo. Transforma coisas que parecem óbvias em piadas a partir dessas sacadas criativas. Acontece que o humorista não é diferente dos outros. Ele apenas pára pra pensar, algo que a a maioria das pessoas não tem feito. O tempo livre estimula a criatividade, que começa na observação. Somente a partir da observação pensada você consegue ampliar seu repertório e capacidade de combiná-lo para criar coisas realmente inovadoras.

Criatividade é combinatividade

Murilo Gun chama criatividade de combinatividade porque acredita que tudo é uma combinação de coisas anteriores. Ou seja, o homem não teria criado nada, mas combinando coisas para chegar a algo novo. O copo é uma combinação da cerâmica com as mãos fechadas quando bebíamos água. O iPhone é uma combinação do celular com o o Palmtop (PDA). E assim fomos evoluindo e continuamos em nossa criatividade (combinatividade).

O humorista tem um repertório diferente, com muitas inspirações e referências, então suas combinações ficam ainda mais loucas e inovadoras. Coisas aparentemente incombináveis são combinadas com criatividade. Muitas vezes ficam engraçadas só pelo fato de não termos pensado ainda sobre aquele ponto de vista novo, criativo.

criatividade1Juntar pessoas diferentes estimula a criatividade coletiva

Juntar pessoas heterogêneas estimula a combinatividade porque aumenta o repertório do grupo. Um repertório maior, por sua vez, aumenta a chance de combinar coisas improváveis, levando a maior criatividade. Mas as pessoas envolvidas devem estar conectadas com um propósito de colaborar e aprender juntas.

Então, se todo mundo achar sua ideia legal, desconfie. Pode ser que todos pensem como você e a criatividade para ser transformada em inovação precisa contrapontos.

Existe um processo de criatividade

Tudo começa pelo input, o olhar, a observação aguçada. É preciso ser um caçador de inputs diferentes. Esta é uma fase de divergência, buscando mais e mais informações que possam (ou não) ser combinadas. Para Murilo, esta fase deve ser aberta e durante ela, devemos aceitar todas as ideias por mais louca que pareçam.

Em seguida, começa a fase de convergência em que se começa a juntar as múltiplas ideias que surgiram na fase anterior. Esta fase começa pela combinação. As combinações malucas é que fazem surgir coisas diferentes. Uma combinação pode surgir de um momento eureka ou mesmo a partir de várias tentativas e erros, mas é sempre importante testar.

Então, entramos na segunda etapa da convergência: o output. Trata-se de se expor, dar a cara a tapa, testar, sem medo de fracassar. Essa etapa é muito importante para a criatividade se transformar em inovação. Ou seja, ser realmente útil para algumas pessoas. Mesmo o humorista precisa testar suas piadas para saber quais são realmente engraçadas no show.

O teste obviamente não tem utilidade se não houver o feedback. É a partir deste ponto que as ideias, combinações e criatividade são retroalimentadas para serem melhoradas e transformadas nas inovações. Ouvir e melhorar.

O fracasso faz parte do processo da criatividade

murilo-gun-fracassoMuitos têm medo do fracasso, mas acontece que todos fracassamos. O diferencial das pessoas está em aprender a partir disso. Ou seja, é preciso aceitar o fracasso, o erro. Em lugares mais desenvolvidos, as pessoas são valorizadas após aprenderem com o fracasso. Ou seja, elas já sabem formas de não errar, ficando a frente da maioria.

Na criatividade estar aberto ao fracasso é essencial porque somente assim vai poder se expor ao que pode estar errado. O humorista muitas vezes testa uma piada que ninguém ri. Neste momento, precisa ajustar algo para que funcione ou mesmo desistir daquela ideia. O mesmo acontece em sempre que estiver querendo usar sua criatividade em outros áreas.

A criatividade é inata da espécie humana.

Achar que não tem criatividade é uma autoenganação, um bloqueio que se cria. Nascemos criativos e aos poucos vamos inibindo esta habilidade. Depois de adultos, é preciso reaprender a ter criatividade. E para ser realmente criativo é preciso de algum esforço. Não é fácil se expor e arriscar, mas o desenvolvimento da criatividade pede isso.

Irreverência é o oposto de reverência. Ou seja, é não aceitar e questionar. E isso dá trabalho porque exige sair da zona de conforto. Então, assumir-se como “não criativo” é mais cômodo para a maioria das pessoas.

Criatividade é a habilidade do futuro

murilo-gun-nasaPara Murilo, a criatividade é a habilidade do futuro. Ele aprendeu isso em pesquisas que fez na Singularity University, uma universidade que surgiu de parceria entre Google e NASA, voltada para estudar tendências e futuro. A máquina está cada vez mais substituindo os humanos em atividades rotineiras. Segundo as pesquisas, a criatividade será a última das habilidades que a máquina conseguirá nos substituir.

Criatividade pode ser ensinada

As pessoas acham que criatividade é um dom, mas não é. O Murilo Gun defende que é possível ser ensinada. Assim, ele segue pelo país, em especial, nas empresas dando palestras e ensinando como ser mais criativo. Por isso, garimpamos na internet os melhores vídeos e montamos um curso online com 15 microaulas para você que quer aprender criatividade com o Murilo.

Para se matricular neste curso que é grátis, basta acessar o link: bit.ly/curso-criatividade